top of page

Você acorda com Sono?





Antes de falarmos dos distúrbios precisamos entender qual a finalidade desse momento fisiológico tão importante.

Sono é momento de repouso que todo ser humano precisa para se equilibrar. A cada ciclo de dia o organismo se organiza para entrar nessa fase que é regida por intermédios de neurotransmissores e hormônios.

A fisiologia é desencadeada pela necessidade de uso do corpo todo, por isso dependendo da intensidade do seu dia, o sono automaticamente tende a mudar.

Por essa razão entender a PSICOSSÒMÀTICA, se faz tão importante para regular seu sono.

Distúrbios aparecem em todos os sistemas e sabemos que eles estão presentes quando o indivíduo vive em constante adaptação sob o stress.

Quando o sistema não se adapta, seja por excesso de função ou mesmo por falta de condições ele entra em distúrbio, que é diagnosticado como um processo patológico.

Dentre os distúrbios de sono, encontramos a Insônia, a Apneia, Bruxismo, Síndrome das pernas inquietas, Alterações Cardiorrespiratórias, Sudorese, Enurese entre outras.

Cada sintoma relacionado á fase de repouso tem sua origem psicossomática, porém como base de entendimento podemos dizer que todos os sintomas são manifestações onde o indivíduo necessitaria estar em Vigília.

Fica a questão: Qual a intensão do corpo querer estar acordado no momento de descanso? E partir dessa resposta analisaríamos os sintomas que cada pessoa manifesta no seu sono.


Insônia:

É caracterizada por dificuldade de entrar no sono, seja no início, no meio ou no despertar precoce.

Cada um deles tem uma importância de origem psicossomática, onde precisa ser avaliado o estilo de vida e suas contrariedades diárias.


Apneia:

Existe dois tipos de apneia, sendo de origem local, chamada Obstrutiva, e de origem neurológica, chamada Central.

Para sua perfeita detecção é necessário exame específico de sono, chamado Polissonografia.

Além dessas paradas respiratórias serem melhor diagnosticas por número e tempo, se avalia função neuronal e muscular durante a fase de repouso.

A apneia é um fator muito importante no sono, pois aparentemente pessoa pode relatar um boa noite de sono, porém relata cansaços e sonolência diurna, que mostrado nesse tipo de exame, a apneia diminui a capacidade de oxidação sanguínea além de micro despertares capazes de não deixar o organismo se reabilitar.

Analisando a qualidade de vida do indivíduo, a psicossomática vai reavaliar suas questões emocionais com abordagem respiratória. Pesquisando nos seus conflitos algo que a respiração com olhar metafísica está sendo bloqueada, impedida ou mesmo anulada.

Essa questão de oxidação é muito importante ser avaliada em crianças, pois muito fatores de desenvolvimento psicossocial e conectivo estão relacionados com essa nutrição em deficiência.


Síndrome de pernas inquietas e bruxismo:

Essas duas manifestações são musculares e sabemos que durante o sono o organismo é invadido por estímulos neuronais onde ocorre o relaxamento total da musculatura estriada. Porém tem a confirmação via exame de sono que há estímulo de movimentação de pernas e da articulação da boca.

Geralmente essas movimentações são associadas aos micros despertares, pois cada ciclo completo de sono a musculatura entra em repouso, só voltando a sua tonicidade de estímulo e resposta quando chegado o momento de despertar ou término do ciclo. Quando o indivíduo desperta e interrompe um ciclo de sono, o organismo reinicia o ciclo. A musculatura tende ter seu relaxamento após sua contração estimulada.

Movimentos corporais como alternar o lado, falar, tossir e taquicardia por exemplo, são confirmados via exame de sono, após uma apneia obstrutiva e um micro despertar.


Sudorese e enurese:

Esses sintomas muito comuns durante a vigília são incompreendidos em estado total de repouso onde o sistema parassimpático impera e estimula o controle muscular da musculatura lisa, presente nas glândulas sudoríparas e da musculatura lisa do sistema renal. Por isso a pesquisa de alteração neurofisiológica para remissão total desses sintomas que trazem distúrbio ao sono.

A compreensão das alterações de comportamento de via psicossomática é muito indicada para esses eventos onde não há detecção física da origem dos sintomas.


Sabemos que esses distúrbios além de provocarem êxtase de função fisiológica propicia e potencializa degenerações e processos patológicos crônicos. Além de looping de alterações de comportamento, onde os gatilhos emocionais tendenciados por indivíduos com baixo qualidade de sono, provoca comportamentos de perda de sono e assim em consequência cíclica.

Nos próximos artigos falaremos sobre essas alterações comportamentais detectadas pela ausência de um sono reparador, bem como as justificativas médico e psicossomáticas.


Um bj enorme no coração

Roberta Carvalho

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page